Carregando
Recife Ao Vivo

CBN Recife

00:00
00:00
Cultura

Festival Canavial LAB realiza tributo inédito a Arnaud Rodrigues na web

Por: REDAÇÃO PORTAL
O espetáculo cultural, em homenagem ao ex-multiartista pernambucano,  é realizado por um grupo de doze jovens musicistas, filhos de agricultores e  trabalhadores da lavoura.

Foto: Divulgação

07/04/2021
    Compartilhe:

O Festival Canavial LAB, evento dedicado à música, à arte e à cultura popular da Zona da Mata de Pernambuco, apresenta, no próximo sábado (11), às 21h, na web (https://www.youtube.com/channel/UCvENZ0s_NKWE0lhFzfnJsrg), um espetáculo cultural inédito dedicado ao multiartista, Arnaud Rodrigues - um dos homenageados deste ano do festival. O tributo virtual, preparado em memória ao ex-cantor, compositor, ator, redator e comediante, falecido há onze anos, é realizado por um grupo de doze adolescentes e jovens, de 17 a 24 anos, filhos de agricultores e trabalhadores da lavoura,  de Serra Talhada, cidade do sertão do estado, região onde nasceu o artista.  Nesta edição, o festival também homenageia o mestre de maracatu, Zé Duda, do Maracatu Estrela de Ouro; além do mestre Nelson Ferreirinha, do Caboclinho Sete Flexas, de Goiana (in memorian); e o ex-deputado por Pernambuco, Cadoca (in memorian), incentivador e apoiador da cultura pernambucana.

O projeto, que conta com cenário e um figurino todo especial, foi elaborado pelos jovens ainda no ano passado, durante o início da pandemia da covid-19. No espetáculo, os jovens artistas fazem uma imersão na vida e obra de Arnauld Rodrigues, homem de uma personalidade artística forte, e que marcou sua trajetória na televisão, cinema, teatro, esportes, e na música brasileira. Ao lado de  Chico Anysio, um dos seus maiores e inseparáveis companheiros de trabalho, Arnaud Rodrigues encantou e alegrou os brasileiros, com sua versatilidade e criatividade para o humor. Algumas dessas marcas da irreverência de Arnauld, vão ganhar  mais brilho e força no espetáculo cultural, que será  transmitido no canal do festival no Youtube. 

O show online, chamado de Nave do Tempo -  Tributo a Arnaud Rodrigues, tem a participação de Branca Sousa, Cinthia Kherlly, Emanuel Carvalho, Gabrielle Souza, Luiz Carlos Alves, Pedro Pólla, Sandino Lamarca, Sandra Klébya e Silvio Ferraz. Juntos, os meninos e meninas  trazem ao palco virtual, uma mistura de sons, vozes, cores, e movimentos, que têm o DNA cultural de Arnauld Rodrigues. Os trabalhos musicais apresentados pelos jovens são: O som do Paulinho (1976); Redescobrimento (1979); Em cima daquele morro (1976); Gaivota Humana (1976); e A volta de Lampião (1979).

"O Festival Canavial traz, ao longo de toda sua trajetória, sua missão de atuar na proteção, preservação, conservação e salvaguarda do Patrimônio Cultural pernambucano. E neste ano, não poderia ser diferente: escolher Arnaud Rodrigues como uma de nossas memórias culturais, é motivo de muito orgulho. Temos o dever e a responsabilidade de manter vivo o seu legado cultural dele" enfatiza Afonso Oliveira, idealizador e curador do festival. 

Biografia - Arnaud Rodrigues é natural de Serra Talhada, Sertão do Alto Pajeú, no interior de Pernambuco. Foi de lá que ele partiu com o sonho de ter uma vida diferente na região sul do Brasil. Chegando lá, fez sucesso na televisão, com participação em cinco novelas; além de 4 seriados e três casos especiais. Na TV Globo, onde passou a maior parte de sua carreira, escreveu 26 programas e dividiu várias apresentações ao lado de um dos seus melhores amigos, Chico Anysio.  Ele também trabalhou no SBT, no programa A Praça é Nossa, juntamente com o comediante Antônio Carlos de Nobrega. Como compositor, escreveu mais 500 músicas, além de gravar e regravar mais de 300 canções de sua autoria. Arnaud Rodrigues morreu, aos 68 anos, vítima de um afogamento,  em 02 de fevereiro de 2010, quando o barco em que estava com a família, virou no lago da Usina Hidrelétrica de Lajeado, em Palmas.

Homenageados: A edição do Festival Canavial Lab também homenageia o mestre de maracatu rural, Zé Duda, do Maracatu Estrela de Ouro, de Aliança, na Zona da Mata Norte. Além do ex-deputado por Pernambuco, Cadoca, considerado um dos importantes incentivadores  e apoiadores da cultura popular, morto no ano passado em decorrência da covid-19; e o mestre Ferreirinha, do Caboclinho Sete Flexas, de Goiana, de 78 anos, falecido no fim de 2019, por problemas de saúde.  

Notícias Relacionadas

Comente com o Facebook